Prof. Adenildo Bezerra reafirma a sua pré-candidatura a vereador em Arari

Adenildo

O Professor Adenildo Bezerra confirma a sua pré-candidatura a vereador em Arari. Decerto, é um nome forte para concorrer a uma vaga na Câmara Municipal. O eminente professor, há vários anos, realiza expressivos trabalhos no município. Seja na Educação, haja vista que figura, atualmente, como um dos professores ararienses mais prestigiados; seja na cultura, uma vez que ele é membro-fundador de duas das instituições culturais mais expressivas de Arari: o Instituto Perone e a Academia Arariense de Letras Artes e Ciências – ALAC.

Adenildo Bezerra também é um pesquisador de méritos, sobretudo em relação à geografia arariense. Trata-se, hoje, de um dos nomes mais conhecidos quando o assunto é Arari. Acredito que pelo sua valorosa folha de serviços prestados ao torra arariense, além de seu caráter ilibado e sua reputação pautada no respeito e na honestidade, ele desponta como um pré-candidato que deverá ser bem visto pelo eleitorado arariense. Adenildo Bezerra sempre se fez presente em movimentos sociais e sindicais em prol do bem-comum.

A renovação na política, sobretudo no Legislativo Municipal deve existir. E se o município quer um Poder Legislativo forte e atuante, faz-se necessário eleger homens íntegros e que possuam um valor intelectual, moral e ético à altura do cargo de representante do povo de Arari. Com a pré-candidatura do Professor Adenildo Bezerra, a política, assim, se fortalece. Pois é mais uma boa opção para o Legislativo. Um nome que merece ser bem analisado pelos eleitores ararienses.

Share Button

Temer busca apoio de Aécio para eleger aliado de Cunha na Câmara

BRASÍLIA — Pressionado pelo presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o presidente interino, Michel Temer, tenta um acordo com a antiga oposição, composta por PSDB, DEM, PPS e PSB, para viabilizar uma sucessão na Câmara com um nome de interesse do peemedebista. Na semana passada, Temer procurou o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), em busca de apoio a um deputado do centrão que assuma o mandato-tampão de presidente da Câmara até o final deste ano.

Na conversa ocorrida no Palácio do Jaburu, Temer explicou a Aécio que desejava ajudar na eleição de um presidente da Câmara que não trabalhe pela cassação do mandato de Cunha. O nome que melhor se encaixa nesse perfil, na análise do Palácio do Planalto, é o do deputado Rogério Rosso (PSD-DF).

Há resistências entre os partidos da antiga oposição, mas elas podem ser superadas — desde que haja um compromisso de apoio, por parte do governo e do PMDB, a um integrante de PSDB, DEM, PPS ou PSB para presidir a Câmara entre 2017 e 2019.

PLANALTO NEGA INTERFERÊNCIA

 condição, na avaliação de auxiliares de Temer, pode atravancar o acordo. No centrão e no PMDB há candidatos que desejam disputar a presidência da Câmara no próximo ano. O Palácio do Planalto negou que pretenda interferir nessa eleição.

— Até admitiríamos um nome transitório agora, desde que haja um compromisso do Michel e do PMDB com esses partidos para o próximo ano. Não tem sentido o PMDB ficar novamente com a presidência das duas Casas, e este núcleo de partidos que possibilitou o impeachment de Dilma ficar de fora do comando — diz um tucano que participa das articulações.

Está prevista para a semana que vem uma reunião entre líderes da antiga oposição para que seja firmado um núcleo de ação conjunta. Há o temor de que, se não trabalharem unidos, esses partidos sejam atropelados pelas outras siglas que formam a base do governo Temer. Deputados da antiga oposição dizem que está fora de discussão a negociação de votos para salvar o mandato de Cunha.

REUNIÃO COM MINISTRO DO STJ

A aliados, Temer tem dito que não quer disputas na Câmara, porque isso pode desagregar a sua base, hoje com cerca de 350 deputados. Temer e Aécio voltaram a se encontrar na noite de terça-feira, em jantar oferecido pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) João Otávio Noronha, em comemoração à sua escolha como corregedor-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Na ocasião, conversaram brevemente e ficaram de voltar a se reunir.

A ideia é ter um acordo o mais breve possível, já que a renúncia de Cunha à presidência da Câmara está prevista para o próximo mês. Interlocutores de Cunha dizem que ele está disposto a apresentar sua renúncia em 11 de julho, antes da votação do relatório sobre o processo de cassação do seu mandato na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ).

A renúncia seria um gesto para tentar convencer seus colegas a não aprovar a cassação de seu mandato. Ao GLOBO, porém, Cunha voltou a negar que pretende renunciar: “Não existe renúncia”, disse, por mensagem de texto.

As contas que chegam aos líderes na Câmara são de que Cunha teria a seu favor cerca de 28 votos de um total de 66 integrantes na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Para aprovar o recurso a seu favor e devolver o caso ao Conselho de Ética — o que faria o processo contra Cunha retroagir praticamente à estaca zero —, o presidente afastado da Câmara precisa de maioria simples (metade mais um do total de presentes à sessão).

AUXILIARES: CUNHA PRETENDE RENUNCIAR

Auxiliares na defesa de Cunha junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) têm garantido a interlocutores que ele pretende renunciar ao cargo. Além do gesto político, destacam que a renúncia poderá lhe trazer efeitos benéficos. Os processos de que é alvo no STF deixariam de ser julgados pelo plenário da Corte — foro reservado aos presidentes da Câmara e do Senado — e iriam para a Segunda Turma do tribunal, comandada pelo ministro Gilmar Mendes. Além disso, os julgamentos na Segunda Turma não são televisionados, o que diminuiria a pressão sobre os ministros para condenar Cunha.

Fonte: O globo

Share Button

O prefeito de Arari, Djalma Melo, realiza pleitos em Brasília

 

 

A convite do presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Gastão Vieira, e do ministro da Educação, Mendonça Filho, o prefeito Djalma Melo participou nesta quarta-feira (29/06) da Solenidade de Liberação de Recursos do MEC/FNDE, em Brasília, com a presença do Presidente da República em exercício, Michel Temer.

 

Blog: Nilson Ericeira –

Share Button