Pároco de Arari passará por cirurgia para retirada de aneurisma

O pároco de Arari estará passando por uma cirurgia dia 09 de agosto, para retirada de um aneurisma cerebral. O Padre França como é conhecido, está em Arari desde setembro de 2010, aonde vem desenvolvendo um grande trabalho na comunidade católica de Arari. Ao longo desses anos realiza evento de grande porte como: shows, encontros, formações para as comunidades de modo geral, etc.

França dirige a Paróquia Nossa Senhora da Graça, de forma íntegra assumindo o papel de um grande missionário e levando a Palavra de Deus para os ararienses. Isso mostra seu compromisso com a Palavra e com seus fiéis.

Share Button

Governo divulga lista de 5.559 professores contemplados com progressão funcional

O Governo do Estado divulgou a relação de professores da rede pública de ensino que serão contemplados com o pagamento de progressões funcionais. Ao todo, 5.559 educadores do quadro da Seduc e do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) progredirão na carreira, resultando em um impacto financeiro mensal de R$ 1 milhão para o Estado. Somente neste ano, 6.565 professores da rede foram contemplados com progressão funcional.

As progressões serão pagas juntamente com o vencimento de agosto e implementadas com efeito retroativo a julho deste ano. A medida é mais uma conquista para os professores da rede pública estadual, que se soma aos demais benefícios já garantidos desde o início da gestão que passa por incrementos salariais, realização de concurso público e oportunidades de qualificação. Ao todo, desde 2015, o Governo já contemplou 22.317 professores com progressões funcionais.

Para o secretário da Educação, Felipe Camarão, o governo do Estado dia, após dia, tem se empenhado em atender pleitos e valorizar os servidores da educação. “O governador Flávio Dino demonstra, novamente, porque é conhecido como o governador da educação, garantindo melhores condições e mais qualidade de trabalho, além de estimular a permanência em sala de aula, valorizando o professor da rede estadual”, destacou.

A progressão funcional é a evolução do educador da rede pública estadual, que, após determinado tempo de serviço, avança de uma referência para outra superior na tabela remuneratória do magistério, conforme estabelecido pelo Estatuto do Magistério.

Conquistas históricas da categoria

Além das progressões, outras conquistas históricas da categoria foram atendidas pelo Governo do Maranhão, como a unificação de matrículas e a ampliação de jornada; concurso público para 40 horas, incluindo vagas para profissionais da Educação Especial; concessão de gratificação para a Educação Especial e a gratificação de dedicação exclusiva; eleições democráticas para diretores de escola, entre tantas medidas.

Quantitativo de progressões

2015 – 11.144 professores
2016 – 4.608 professores
2017.1 – 1.006 professores
2017.2 – 5.559 professores

Confira a lista com o nome dos profissionais que foram beneficiados com as progressões no site da Seduc (www.educacao.ma.gov.br)

Fonte: Jornal Pequeno

 

Share Button

Consumidor deve analisar perfil antes de optar por tarifa branca de energia

Andreia Verdélio* – Repórter da Agência Brasil

A partir de 1º de janeiro de 2018, os consumidores poderão solicitar a adesão à tarifa branca de energia elétrica, que é a adoção de preço diferente de acordo com o horário de consumo. Com a tarifa branca, a energia consumida fora do horário de pico será mais barata, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Entretanto, é importante que cada consumidor conheça o seu perfil de consumo na hora de optar entre a tarifa branca e a convencional.

O analista de mercado da Proteste, Rafael Bomfim, alerta que a tarifa branca pode ser muito boa ou muito ruim, dependendo do perfil de consumo. Para ele, quem optar por essa tarifa tem que ser capaz de aproveitar os horários fora de ponta. “Conheça bastante as regras e verifique a possibilidade de se adaptar aos melhores horários da tarifa”, disse. “Se é um consumidor que tem a rotina rígida, não é aconselhável”.

Com as novas regras, nos dias úteis o preço da energia poderá ser dividido em três horários: ponta, intermediário e fora de ponta. As faixas variam de acordo com a distribuidora. O horário de ponta, com a energia mais cara, terá duração de três horas, na parte da noite. A taxa intermediária será uma hora antes e uma hora depois do horário de ponta. Nos feriados nacionais e nos fins de semana, o valor é sempre fora de ponta.

Aderir à tarifa branca será opcional e estará disponível para as novas ligações e com unidades que consomem mais de 500 quilowatts-hora (kWh) por mês. Em um prazo de 12 meses, será oferecido para unidades com média anual de consumo superior a 250 kWh por mês e, em até 24 meses, para as demais unidades consumidoras.

Atualmente, existe apenas a tarifa convencional, que tem valor único cobrado pela energia consumida e é igual em todos os dias, em todas as horas. A tarifa diferenciada não valerá para os grandes consumidores, como as indústrias, nem para quem é incluído na tarifa social de energia.

Para aderir à tarifa branca, os consumidores precisam formalizar sua opção na distribuidora, e quem não optar por essa modalidade continuará sendo cobrado pelo sistema atual. “Nós alertamos para o consumidor não migrar por impulso para a tarifa branca, para não ter surpresa ruim na conta”, disse Bomfim, explicando que será possível retornar para a cobrança convencional, caso o consumidor não se adapte.

Também será preciso instalar um novo tipo de medidor de energia. A troca deverá ser feita em até 30 dias e os custos do medidor e do serviço serão de responsabilidade da distribuidora.

No site da Aneel, estão disponíveis exemplos de situações em que é mais vantajoso migrar para a tarifa branca.

Capacidade do sistema

A tarifa branca cria condições que incentivam alguns consumidores a deslocar o consumo dos períodos de ponta para aqueles em que a rede de distribuição de energia elétrica tem capacidade ociosa.

O consultor de energia do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Clauber Leite, explica que o sistema de energia é projetado para atender à máxima demanda, mas que, na maior parte do dia, fica ocioso. “A tarifa branca é uma política adequada, ela é boa porque acaba barateando e dando mais eficiência ao sistema como um todo”, disse.

Para Leite, em longo prazo, a medida pode ajudar a adiar os investimentos. “Anualmente, o número de consumidores cresce. Então, para atender à demanda está sendo prevista uma carga máxima do sistema. Se consegue deslocar esse pico, o investimento pode ser postergado e isso pode gerar benefícios na tarifa”, explicou.

Share Button